artigos

Combater a Diabetes: O papel do exercício físico

19/05/2021
Para combater a diabetes, o diagnóstico e o tratamento adequado e atempado são essenciais. Para além da intervenção farmacológica, o exercício físico é uma arma terapêutica fundamental e deve ser iniciado assim que possível.

A prevalência de diabetes tipo 2 tem aumentado a nível mundial a um ritmo alarmante, sendo actualmente considerada uma das pandemias do séc. XXI. De acordo com a International Diabetes Federation estima-se que actualmente existam mais de 450 milhões de pessoas com diabetes em todo o mundo. De acordo com os dados do Observatório da Diabetes de 2016, estima-se que cerca de 13.3% da população portuguesa tenha diabetes, sendo que mais de 40% das pessoas não estarão diagnosticadas.

Causas:

O sedentarismo e uma dieta pouco equilibrada estão entre os principais fatores de risco para o desenvolvimento da diabetes, estando estreitamente relacionada com o aumento da prevalência de obesidade na população.
A alteração do estilo de vida, nomeadamente a prática de exercício físico, é uma das principais atitudes que devem ser adotadas para reverter esta tendência e deve ser incluído em todos os programas de prevenção e tratamento da diabetes.

Consequências para a saúde:

A terapêutica da diabetes tem como principal objetivo evitar e atrasar a progressão das complicações decorrentes da hiperglicémia. Estas podem ser divididas em complicações micro e macro-vasculares. Entre as complicações micro-vasculares destacam-se a retinopatia, a nefropatia e a neuropatia. As complicações macrovasculares mais preocupantes são as doenças cardiovasculares, nomeadamente o enfarte agudo do miocárdio e o acidente vascular cerebral. As pessoas com diabetes apresentam um risco de desenvolver doença cardiovascular 2 a 4 vezes superior à população saudável. O baixo fitness cardiovascular é um factor preditor independente de mortalidade de qualquer causa em pessoas com diabetes tipo 2. Assim, torna-se fundamental tratar o mais precocemente esta patologia, sendo que o exercício físico desempenha um papel essencial.

O papel do exercício:

Múltiplos estudos demonstram que o exercício físico mesmo que realizado em período de curta duração parece ter vantagens e melhorar o controlo glicémico, nomeadamente através de mecanismos insulino-dependentes. No entanto, as vantagens do exercício físico são maiores quando este é realizado a longo prazo, de forma sustentada, prolongada e programada. Os efeitos de longa duração estão relacionados com o impacto em órgãos alvo, nomeadamente no músculo esquelético, no tecido adiposo, no fígado e no pâncreas. Está associado a benefícios cardiometabólicos, nomeadamente na melhoria da pressão arterial e do perfil lipídico, na redução da massa gorda e no controlo glicémico. Tradicionalmente, o exercício físico recomendado nas pessoas com diabetes é do tipo aeróbio, o vulgo Treino de Cardio, sendo este o mais estudado, com benefícios comprovados na prevenção e tratamento da diabetes. A Ciência demonstra o seu impacto positivo na melhoria do perfil glicémico, na perda de peso, na capacidade oxidativa e no perfil lipídico. Nas últimas duas décadas, o Treino de Força ganhou considerável reconhecimento como opção terapêutica no treino de pessoas com diabetes. Para além dos benefícios na melhoria do controlo da glicémia, do perfil lipídico e da tensão arterial, o Treino de Força está associado a aumento da massa muscular e melhoria da densidade mineral óssea, aspetos particularmente importantes nas mulheres no período pós-menopausa e na população com idade mais avançada que apresenta um declínio da massa muscular – sarcopénia. A combinação de exercício aeróbio e de treino de força parece ser a modalidade mais eficaz na melhoria do perfil cardiometabólico de pessoas com diabetes e consequentemente na diminuição do risco cardiovascular.

As guidelines da American Diabetes Association recomendam que os programas de treino sejam supervisionados para maximizar os benefícios, sendo fundamental que o volume e a intensidade do exercício físico em pessoas com diabetes sejam individualizados e otimizados para que os efeitos metabólicos sejam máximos e sejam evitadas lesões ou aumento do risco cardiovascular.

Programa de Treino Acompanhado para diabéticos – Metodologia TA20

Tendo em conta a vasta incidência de diabetes no país e o impacto extramente positivo do exercício físico na doença, o Exercise Studio, através duma metodologia (TA20) baseada na ciência desenvolveu um programa de treino, específico para pessoas diabéticas, com o objetivo de melhorar a saúde metabólica das mesmas. Através de uma avaliação física personalizada, o treino é construído e ajustado consoante as necessidades e capacidades individuais, existindo um acompanhamento e monitorização constante durante o treino para controlar e ajustar sempre que necessário a intensidade, respeitando os limites de cada corpo/organismo. Desta forma a segurança e eficiência do programa está garantida.

Para combater a diabetes, o diagnóstico e o tratamento adequado e atempado são essenciais. Para além da intervenção farmacológica, o exercício físico é uma arma terapêutica fundamental e deve ser iniciado assim que possível. Nesse sentido, é muito importante que exista uma estreita relação e um canal de comunicação preferencial entre o doente, o profissional de saúde e o profissional de exercício. Invista em si e na sua saúde metabólica, treine de forma inteligente, de acordo com a sua capacidade física e suas necessidades.

Autor: Daniel Macedo e Júlia Silva

Daniel Macedo - Médico Júlia Silva - Fisiologista do Exercício

Tópicos

diabetes     exercício     saude     treino acompanhado     treino de força

Outros ARTIGOS

DE DOENTE A ATLETA …. ZINHO 

DE DOENTE A ATLETA …. ZINHO 

Sou cirurgião cardio-torácico e agora, embora activo desempenho outras funções. Depois de ser Director de Serviço da...

Mobilidade e Treino de força: Porque não alongamos?

Mobilidade e Treino de força: Porque não alongamos?

Para ganhos de mobilidade, a prática de alongamentos é vista como a mais efetiva. Na verdade, ao longo dos anos, tem sido incutido na sociedade que os alongamentos são fundamentais para a saúde e qualidade de vida das pessoas. Mas por que razão? Será realmente verdade?

Treino de Força e Saúde Cardiovascular: Falácia ou Realidade?

Treino de Força e Saúde Cardiovascular: Falácia ou Realidade?

A prática regular de exercício físico tem múltiplos benefícios para a saúde, entre os quais se destacam os cardiovasculares (CV) pelo impacto global destas doenças, sobretudo o enfarte agudo do miocárdio e o acidente vascular cerebral.

Marque o seu 1º Treino Gratuito

Venha conhecer um metodo de treino que utiliza a ciência para melhorar a sua saúde, condição e longevidade física.